27 de jul de 2007

Encanto real

Não existe nada mais encantador do que ser você mesma. E não existe nada mais traiçoeiro do que usar máscaras para disfarçar reações, conhecimentos e opiniões. Não apenas pela hipocrisia, mas pela falta de integridade com aquilo que você é e construiu dentro de si. Trair-se para agradar é trair o outro. Afastar quem deveria estar junto e aproximar quem deveria estar bem longe. Sento no chão, choro de rir sozinha no ônibus, pergunto quando não entendo, uso sandália no frio e casacos de menino, pulo e danço quando estou empolgada, falo alto, converso com a minha cachorra, brinco na frente do espelho e visto apenas duas calças compridas, revezando entre elas dia após dia, por serem as únicas, no mundo todo, que me deixam à vontade. Se isso encanta alguém? Sim, a mim.

26 de jul de 2007

Serelepe!

"E nossa história não estará pelo avesso
Assim, sem final feliz
Teremos coisas bonitas pra contar
E até lá, vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe para trás
Apenas começamos
O mundo começa agora
Apenas começamos"

(Metal contra as nuvens - Legião Urbana)

25 de jul de 2007

Conclusão da vida:

O amor só é lindo quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.

Mário Quintana

24 de jul de 2007

De ontem em diante...

...verificarei se o gás será suficiente para fazer o macarrão antes de me aventurar na chuva para comprar todos os ingredientes, enfrentar filas de 4 pessoas que demoram 4 horas, contemplar os imitadores do Ovelha (ouou, ieiei, sem você não viverei) e do Latino (olá, prazer, a noite é nossa), apanhar do meu próprio guarda-chuva, apagar um incêndio no fogão, e tudo acabar em pizza.
Pensando bem, não verificarei nada. Nem de ontem, nem de hoje, nem de nunca em diante. Diga-me que sou imprudente e te respondo que sou feliz.

23 de jul de 2007

Conclusão do dia:

É mais fácil taxar o indivíduo de maluco do que se dar ao trabalho de compreendê-lo. E viva os ex-cêntricos!

Querido Diário

É um desânimo brilhante que me faz tentar pensar. Escapa de agonia e desespero, se reflete apenas na testa franzida. O coração está apertado, muito apertado. E não tem nenhuma relação com a segunda-feira cinza e molhada. Amo segundas-feiras, chuva, frio, sol, calor e vento. Isso jamais será um problema pra mim. O que é, enfim? A notícia de ontem à noite? A de hoje cedo? As expectativas da semana? A falta delas? Não sei. Mas, que brilha, brilha. Ofusca. Principalmente a mim.

22 de jul de 2007

Um pouco mais de mim...

Danço com o vento que não entra no coração. Faço-me grande, alimento-me da alma do próprio Deus. Preciso sempre de contato, barreiras e pensamentos.

Se...?

Se ama é porque é ingênua.
Se não ama é porque é fria.
Se transa é uma vadia.
Se não transa, é porque se faz de santa.
Se estuda, é intelectual e chata.
Se não estuda, é vagabunda.
Se vive presa no passado, é museu.
Se esquece o passado, é mais uma desiludida tentando um novo fim.
Não acreditam.
Se sim, se não.
Mas, se não fossem os "ses", será que dava para se fazer alguma coisa certa? Especulações são para os esteriotipados.

Paixões

Em nada materialistas. Simples como um verso. E tão, tão peculiares.

.Ler
.Cães
.Lua
.Poesia
.Teatro
.Minha mãe
.Tagarelar
.Circo
.Almoço de domingo
.Meu pai
.Chuva
.Pijama
.Meu irmão
.Rir
.Nete Bolete
.Coisas de criança
.Açai
.Crianças
.Molly Maria, minha cria
.Bagunça
.Álbum de figurinha
.Anjos sem asa - e estar com eles em qualquer circunstância
.Vento
.Aprender
.Ficar à vontade - e descalça
.Cartas e fotos
.Sol
.Futebol
.Caretas
.Pés em cima da cadeira
.Bichos
.Velhinhos
.Escrever
.Música - MPBoa (e eu disse boa)
.Piquenique
.Piadas sem graça nenhuma
.Cinema
.Grama molhada
.Suco de limão
.Tudo com chocolate
.Pensar, sentir, tocar e falar, falar, falar
.Falar alto - sem repressão alheia
.Falar com as mãos
.Meu Deus e tudo que está relacionado a Ele

Numa moldura clara e simples, sou aquilo que se vê. Lógico que não nesta ordem incoerente, mas com a medida exata de coerência e insanidade.

Conclusão do dia:

"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato. Ou toca, ou não toca." Clarice Lispector

21 de jul de 2007

Síntaxe à vontade

"Todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser
Todo verbo é livre para ser direto ou indireto
Nenhum predicado será prejudicado
Nem tampouco a vírgula, nem a crase nem a frase e ponto final!
Afinal, a má gramática da vida nos põe entre pausas, entre vírgulas
E estar entre vírgulas é aposto
E eu aposto o oposto que vou cativar a todos
Sendo apenas um sujeito simples
Um sujeito e sua oração
Sua pressa e sua prece
Que a regência da paz sirva a todos nós... cegos ou não
Que enxerguemos o fato
De termos acessórios para nossa oração
Separados ou adjuntos, nominais ou não
Façamos parte do contexto da crônica
E de todas as capas de edição especial
Sejamos também o anúncio da contra-capa
Mas ser a capa e ser contra-capa
É a beleza da contradição."

(Fernando Anitelli)

Emocionante e incomum. Passa orgulho, glamour e simplicidade. Entendi, hoje, porque é "para raros". Fantasiando e fantasiando... fugi da realidade por instantes inexplicáveis.

20 de jul de 2007

Conclusão do dia:

"Faça uma festa e descubra quantos amigos você tem. Fique doente e descubra quantos são de verdade."

Esse é um ditado conhecido e bem verdadeiro. Coloquei aqui porque acabei de descobrir que hoje é Dia do Amigo e uma grande amiga falou isso pra mim ainda há pouco. Entendi a indireta e vim homenageá-la.
A ela e a todos os presentes de festa e de abacaxis.

Lembra do "muito nunca é suficiente"? Não tenho medo de existir em sua vida.

Entrada para raros...



"Se alguém te disser "tá errado ou errada", que não vai 's' na cebola, que não vai 's' em feliz, que o 'x' pode ter som de 'z' e o 'ch' pode ter som de 'x'... Acredito que errado é aquele que fala correto e não vive o que diz." (Zazulejo - O Teatro Mágico)

É hoje.
Gravação do DVD.
Eu vou.
Nós vamos.

19 de jul de 2007

Catapora



"Uma doença altamente contagiosa provocada por um vírus. Com nome científico de varicela, costuma atingir principalmente as crianças."

Bibizoca, que bom que somos eternas crianças, não? E olha que os 20 já batem à porta! Mas Deus é tão sábio, tão sábio, que eu sou imune às perebinhas e vou poder passar todos os próximos dias com você!

Eu te amo, meu chokito.

15 de jul de 2007

Coincidência?

Após o desabafo que fiz condenando o meu gênio sonhador e cheio de fantasias, deparo-me com essa pérola:

"Jovens sonhadores são ingênuos e só quebrando a cara aprenderão que amor eterno é uma utopia, casamento perfeito, ilusão, príncipe encantado, fantasia, monogamia o mesmo que prisão."

Ingênuos? Quebrando a cara? Ora, autor desconhecido, vá viver.

Pufff!!!

Conclusão do dia

Não entendo.
Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender.
Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras.
Sinto que sou muito mais completa quando não entendo.
Não entender, do modo como falo, é um dom.
Não entender, mas não como um simples de espírito.
O bom é ser inteligente e não entender.
É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida.
É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice.
Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco.
Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.

(Clarice Lispector)

Filipenses 4:6-7

Ah, como é bom poder aos pés da cruz depositar
Este meu fardo pesado e árduo de carregar
E não ter que andar ansioso de nada, senão
A Deus tudo levar, cada problema, cada aflição
E a paz de Deus, então, mente e coração, guardará
Em Cristo Jesus.
Ah, como é bom poder!
Como é bom saber!


(Mente e Coração - Vencedores por Cristo)

~* Ainda que cordeirinho de EBD, hoje, dia 15.07.07, entendi a inspiração da música e o que Paulo quis dizer.

Querido Diário

Descobri que não sei lidar com as minhas expectativas. Descobri que não sei sonhar baixo. Descobri que não sei sonhar com os pés no chão. Como se faz isso? Como é possível não ir além em pensamentos diante de pequenas coisas? É inconsciente, não sei explicar. Eu não assumo isso para o espelho, não confesso para mim mesma, mas é um fato. Não estou triste por isso. Acho que é da minha personalidade e eu já passei da fase de auto-afirmação. Mas, por que ainda sou tão criança para fantasiar? Por que os meus planos são sempre inatingíveis e eu nunca consigo esperar menos daquilo que me acontece? Ao contrário de tanta gente que diz por aí "sonha com pouquinho para não se decepcionar", eu sempre desenvolvo em minha imaginação fértil as coisas mais grandiosas e levo o tombo lá do alto. Claro que não estou falando de coisas materiais, sonho pouco com elas. Estou falando de ideais, de família, de levantar bandeira na vida. Estou falando de casamento, de 4 filhos felizes, de um canil para cães abandonados, de uma geração comprometida com Deus, de uma vida fiel a Ele, de um coração que não me decepciona, de um coração que não decepciona os outros, de amigos que são meus olhos, de um almoço de domingo, de um fim-de-semana perfeito, de correr na praia e deixar pegadas na areia, de dançar do jeito que eu quero e sei, de amar e dar suporte, de refletir o meu Jesus onde quer que eu vá, em atitude e pensamento. É tão difícil!
E eu não fico calejada. Como se nada tivesse acontecido, já estou eu, fantasiando tudo de novo.
Eu só quero uma coisa: sonhar o sonho de Deus pra mim.
Só.

9 de jul de 2007

Mania de ser criança...



E nessa minha mania destramelada de viver, de acreditar nas pessoas, de me divertir assistindo Procurando Nemo pela 18ª vez, de tomar sorvete e me lambuzar inteira, de morrer de cócega em qualquer parte do corpo, de usar melissinhas, de ser viciada em Imagem&Ação e sinais para surdos e mudos, de morrer de vergonha no primeiro encontro, de preferir lápis à lapiseira, de detestar andar de ônibus sozinha, de ter medo de barata, de me importar com tudo que penso e sonho mesmo que somente eu o faça, de ser tagarela e falar alto, de não conseguir falar baixo, de amar os ursos de pelúcia, de acreditar nos 3 r’s – reutilize, reduza, recicle - e no trabalho voluntário, de não trocar por nada uma consciência limpa e um coração tranqüilo, de não entender a futilidade humana e suas revistas femininas – e masculinas, de me revoltar com a internacionalização da Amazônia e com o INSS, de ser apaixonada por velhinhos, livros, fotos e animais, de querer comer todos os chocolates do mundo e passar um dia inteiro assistindo desenhos pouco me importando para o que isso possa me acrescentar, de ser estabanada demais, teimosa demais e atrapalhada demais, de não conseguir parar quieta e não saber lidar muito bem com opiniões avessas, de sonhar com as fábulas, bicicletas voadoras, camas-elásticas e quatro filhos felizes, de amar o frio, o calor, um abraço e um açaí, de agir com sinceridade e dedicação, de sonhar em conhecer o fundo do mar e os revolucionários - e aprender com eles -, de gostar de atenção e carinho e manter a hipocrisia bem distante, de fazer perguntas que ninguém sabe responder, de achar que o sorriso é o código do perdão, da alegria, da cumplicidade, da sinceridade e da satisfação, de achar que entendo a introspecção e de me empolgar com as coisas novas, de amar tomar banho de chuva e sonhar olhando pra lua, de sujar o dedo inteiro de esmalte tentando pintar a unha, de tirar todas as azeitonas da pizza e o picles do sanduiche, de subir em árvores, sentar no chão e fazer piquenique aos feriados, de andar descalça, de saber que meu pai é um herói, de adorar futebol e aprender com o meu irmão as táticas, impedimentos e alguns golpes de judô, de deixar minha mãe maluca com a minha criatividade na cozinha e mesmo assim, ainda ser a melhor amiga dela, de querer fazer tudo e ao mesmo tempo, sem nem saber como começar, de amar fazer careta em fotos formais, de fazer festas do pijama e guerras de travesseiro, de amar escrever sobre o que sinto, de viajar em poesias, cartas e músicas antigas, de tentar, em vão, fingir que entendi a piada, de dançar do meu jeito, de acreditar em dias melhores com pessoas menos interesseiras e egoístas, de não conseguir compreender a desigualdade social, o horário político e os logaritmos, de chorar com gritos, crianças e cães abandonados, de saber que o problema de todas as pessoas é infinitamente maior e mais profundo do que eu posso imaginar, de não fazer idéia do que é melhor para mim e por isso falar com Deus todos os dias e em todo tempo, e de não desistir de mostrar para quem está perto o amor que ele tem, a vida vai passando, a maturidade vai chegando, e ela, a mania, fica. Pensando bem, quero que seja sempre assim!