13 de ago de 2006

Palco



Quando se é criança tudo é possível. Vive-se mil vidas e de minuto em minuto tranforma-se de engenheiro para astronauta ou de professor para palhaço. E isso tudo é só você.
Infelizmente, um dia todo mundo cresce. Aí já não se pode ser tudo: há de ser apenas uma coisa, e se é. Algumas pessoas, na verdade, não são aquilo que dizem, mas essa dissimulação significa que escolheram aquilo que querem ser.
Acontece que em muitas vezes, é cansativo ser uma só coisa, pois dentro de nós existe um mundo inteiro reprimido pelo que chamam de status, respeitabilidade, moral ou apenas convivência.
Então, torna-se importante uma magia denominada 'palco'.
Neste você é o que bem entende. Deixa escapar um pouco de você para construir um outro ou até mesmo vivencia aquilo que nunca imaginou. Há burburinhos de emoção...
Acho que estas são as mais sinceras representações na vida.

Para ele

Eu gosto tanto de você que até prefiro esconder. Deixo assim ficar subentendido como uma idéia que existe na cabeça e não tem a menor obrigação de acontecer. (...) Pode até aparecer fraqueza. Pois que seja fraqueza, então. A alegria que me dá, isso vai sem eu dizer. Se amanhã não for nada disso, caberá só a mim esquecer. O que eu ganho e o que eu perco ninguém precisa saber.

(Apenas mais uma de amor - Lulu Santos)