12 de jul de 2010

Sobre as palavras...

"Pois quem quer amar a vida e ver dias felizes refreie a língua do mal e evite que os seus lábios falem dolosamente" 1 Pedro 3.10

As palavras não dizem tudo
Mesmo que o tudo seja fácil de dizer
Com certeza, fala bem melhor o mudo
Se sua atitude manifesta o que crê

Compromisso sumiço, omisso
Ou faz o que fala ou se cala de uma vez
Que não venha sobre si justo juízo
Pois, terrível coisa é cair nas mãos do Rei

Mesma língua que abençoa, amaldiçoa
Mesma língua canta um hino e traz divisão
Não pode da mesma fonte o doce e o amargo
Se Cristo habita de fato no coração

("Fonte", de Sérgio Pimenta)

1 de jul de 2010

Ou não...

Como é mesmo que a gente consegue se doar por inteiro?
Não há fórmula secreta. Sinto que é natural, tanto que a gente quase não percebe. E quando percebe, já é tarde, madrugada.
E cansa, às vezes.
Ainda assim, cansaço não é sinal de entrega. Pode ser até sinal de inércia.
A certeza de que se chegou ao limite da mente e do corpo vem com o prazer de ter dado o melhor que ambos poderiam conceder.
E isso traz paz ao coração.
O que, para mim, basta.